segunda-feira, 23 de julho de 2007

Mulher “pseudo-pseudo”

Ninguém gosta de bancar o bobo (pelo menos, não sempre!). Tem homem que não se importa com as peripécias femininas e se enrola até não poder mais. Mas vamos logo alertando: isso não dá futuro! Só vale a pena a relação que tem equilíbrio e mais: sinceridade! E para ilustrar esse pensamento, lá vai a história de hoje:

O conto – baseado em fatos reais - começa em Oswaldo Cruz, terra da Portela, durante a comemoração do Dia Nacional do Samba. O mocinho da nossa trama ciscava pelas esquinas e finalmente encontrou alguém que o olhava fixamente. A mocinha logo esboçou alguns gestos. Iniciou-se a troca de olhares e pronto: aconteceu a aproximação. O casal da nossa história descobriu coincidências, preferências e até um conhecido em comum. Curtiram a música e decidiram, depois de algumas horas, deixar a festa para abastecer as energias em um restaurante.

Passaram a semana conversando por telefone, e-mail e MSN. Dias depois voltaram a se ver. Ela, uma advogada empolgada, passou horas falando sobre a independência da mulher. “Homens e mulheres são iguais e merecem os mesmos direitos. O que o homem faz, a mulher também tem o direito de fazer. Não pode ser diferente em nada”.

O mocinho de nossa história achou o discurso maravilhoso. Sempre quis uma mulher assim, que não se acomodasse em casa, que não dependesse do marido, que fosse à luta. Depois de beijos e mais beijos, entraram no primeiro motel que viram pela frente! Doze horas depois, chega o momento de ir embora. Ele passa a mão no telefone e pede a conta. Ficam mais uns minutinhos abraçados, beijos pra cá, carícias pra lá. E a campainha toca.

- É a conta, diz o mocinho!
- Uhmmm, diz ela (se espreguiçando) e completa: vou tomar banho!

Nosso protagonista, então, caminha frustrado ao encontro do garçom, pega a conta e resmunga baixinho: “Discurso, discurso. Contas à parte”.

***

Calma! Não pensem que somos aquele tipo pão duro! Nada disso! É que se não é, não diga que é! Nobres, é preciso identificar as mulheres “pseudo-pseudo”, elas são pura perda de tempo! Sabemos que é muito difícil reconhecê-las, e por isso, decidimos dar umas dicas. Separamos alguns golpes aplicados freqüentemente. Se você identificar algum desses nos primeiros dias de romance: PULE FORA!

Golpe Tradicional (também chamado de “saidinha”)
Foi o descrito na nossa história de hoje e também é bastante aplicado em restaurantes. Quando o garçom se aproxima com a conta ela rapidamente vai ao banheiro.

Golpe do “É comigo?”
Quando a conta chega, ela olha pra você e diz: “Ih, chegou a conta”!

Golpe da Autista
Esse também é bastante freqüente. Chega a hora de pagar algo, a sua companhia simplesmente fica estática, parecendo estar em outro mundo.

Golpe do Visa Eletron
Dado a evolução da tecnologia, hoje em dia está cada vez mais difícil aplicar esse. Mas trata-se do seguinte. A moça sai de casa com R$ 10 no bolso. Você pede que ela escolha um lugar pra comer e beber algo. Ela diz: “Ah.. tem um botequinho ótimo ali”. Vocês entram, consomem e na hora de pagar a conta ela solta a pérola: “Ué, não aceita Visa Eletron? Só tenho cartão”.

Bem, fiquem atentos! No fim, vocês sabem de quem é a culpa, né?!

Se você já tiver sido vítima de algum golpe diferente desses, por favor, nos alerte: aculpaedelas@gmail.com

21 comentários:

Marcelo Dias disse...

Por que tenho a impressão de que conheço o autor dessa peripécia? Hahahaha!

Fernanda Almeida disse...

A-D-O-R-E-I...

Está perfeito..rs..muito interessante. Digo isso, pois não faço essas coisas, tá? ahahahah

Bjos e parabéns! Sucesso p vcs!

Paula disse...

Ameiiii!!!! Só tenho uma coisinha a dizer... eu não fujo das contas e acho que do jeito que andam os preços e os salários (principalmente dos recém formados) vale sempre uma divisão ou uma ajudinha a mais quando o outro está duro, mas... também não custa nada os meninos pagarem uma continha. Cinema, motel... Só pra fazer um agradinho, né?
Sucesso pra vocês!!
Bjão

anjinho disse...

uahaUHAhuaUHAhuaHUAuhaHU disse tudo!!! mas nessas situações entra o homem das cavernas; dali é direto p/ um beco escuro e recuperar o preju custe o q custar!!! uhaUHAauHAUHAuhaUHA afinal tudo tem seu preço...

Caroline disse...

No fundo todos sabem que o discurso dos direitos iguais se limita a essa parte né... rsss... Assumo, direitos iguais, mas o cavalheirismo deve perdurar!

Ta legal... continuem escrevendo!

Stella disse...

Olha só....tenho o dever de defender o sexo feminino!!! Nem sempre é verdade.. quer dizer, nem todas as mulheres fazem isso...e vcs estão generalizando!!! Eu num sumo na hora de pagar nada, divido e mtas vezes pago sozinha! Então, vamos com calma, ok??
ahhauhauahuhhauahuhua...

Adorei o texto! Beijos!

Mário disse...

aeau como sou viciado em bate papo na net e conheço várias mulheres elas acham q nós devemos pagar.eu estou fora...
tenho vários assusntos de conhecer mulheres pela net.
Abraços

Paloma disse...

....isso foi otimo.
A culpa é sempre delas!!! kkkkkkk
Eu acho q isso nunca aconteceu comigo, pelo menos nunca percebi rs

Beeeijos!

Musa de Caminhoneiro disse...

Confesso que sou uma moça indepentende, porém, acho que certas atitudes fazem parte de um manualzinho de gentilezas que todo homem deveria ter. Dividir conta de motel na primeira saída, definitivamente, não dá, meninos!

Quando ao golpe do Visa Electron, uma dica: antes de chegar ao bar, comente que você precisa passar no banco 24 horas pra tirar dinheiro e pergunte, como quem não quer nada, se ela também não precisa fazer o mesmo. Garanto que não terão surpresas desagradáveis.

Leandro disse...

Eu costumo aplicar o golpe do Visa Electron! hahahaha. Acho que as mulheres tem que bancar tudo. Elas não se julgam independentes!? Então.... Se elas voltarem a passar roupa, lavar casa e aceitar que demos nossos balões sem reclamações, eu passo a pagar a conta.

Anônimo disse...

Essa história é comovente, mas tão comum quanto a do bonitão querendo se dar bem em um dia de caça. Bem feito. Nunca usei esse truque, mas considero meio que um "troco". E mais, cai quem quer e geralmente esses caras pedem por isso. São uns trouxas.
Gisela

Beto disse...

Na prática todas as mulheres são Pseudo-Pseudo...sempre dizem uma coisa, mas qdo é com elas, nunca vale. Enfim, ainda assim sou apaixonado por todas elas...

Ferelefa's Life Style disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Caraca, não quero NUNCA me deparar com esse tal de Leandro aí de cima!!! ... Deve ter o pinto pequeno, ter complexo de inferioridade, deve ter levado uma surra de uma mulher qd estava na escola, e SE tiver namorada, deve ganhar BEEEEMMMM menos que ela!!! hahaha... Olha só, vc não tem mãe não!? uuuuuuuiiiiiii... nojo!... mas o texto ta ótimo! Machista, mas ótimo! Fêssssssss

Anônimo disse...

Existem mulheres que se fazem mesmo de mortas quando a conta chega, mas acho que isso acontece quando a mulher é interesseira ou o encontro foi um saco!
Não vejo problemas em dividir a conta com o namorado, pois quando você gosta de alguém, não liga muito pra essas coisas. Mas sejamos beeem verdadeiras aqui, mulheres: qual a mulher que vai se oferecer pra dividir o Motel na primeira vez? Até pq, a primeira vez costuma ser tráaaagica! (Muitas aqui sabem que é verdade...).
O mínimo que o homem pode fazer, mesmo sem saber, é manter o cavalheirismo, né? Bom, essa é uma questão de valores e criação, não adianta tentar mudar o outro...

Anônimo disse...

Sinceramente acho que não tem essa de princípios (esses argumentos são conservadores, isso sim!). Por que o homem tem que pagar tudo no primeiro encontro que seja? Antigamente, o homem trabalhava e a mulher não. Por isso, criou-se o hábito de que o homem tinha que pagar tudo. Agora as mulheres têm o espaço no mercado de trabalho (ou ao menos estão próximas do ideal), por que deveriam continuar deixando o homem pagar a conta? Não é o caso de acabar com o cavalheirismo, e sim com as abusadinhas... abs!

Anônimo disse...

O texto constata que nós mulheres somos superiores.Temos o dom de enganar e mentir e vcs homens,acreditarem. Por isso merecemos sempre que vcs paguem os nossos chopps, jantares e aquele velho e gostoso motel.

Rick disse...

Bem bolado.. conheço um monte se dando mal com essas historinhas...rsrsrs

Andréa Lucena disse...

ADOREI!!!
POR ISSO Q FAÇO QUESTÃO DE SER UMA MENINA TRADICIONAL...rsrs
OU SEJA, OS HOMENS DEVEM PAGAR AS CONTAS, SUSTENTAR A FAMILIA, TRABALHAR MAIS...hehehe
BRINCADEIRINHA!!!

BJKSS

Kaka disse...

Tenhu q concordar nesse caso...igualdade é igualdade...partes iguais na conta.
Eu teria vergonha de fazer o q ela fez...é questão de educação. Ficou feio pra ela...
Não gosto de depender de ninguém...por isso, as vezes, prefiro até pagar tudo sozinha...assim mantenhu o controle das coisas..rsrs

beck disse...

Bom, se "o cavalheirismo tem que continuar", então tá certo os homens terem cargos mais importantes e salários maiores que os das mulheres, não é, feministas de plantão?

Senão, como vocês esperam que mantenhamos os pequenos luxos?