terça-feira, 2 de outubro de 2007

A Amiga Ursa

Amigos e amigas do blog, nós, do É Culpa Delas!, somos incansáveis estudiosos do comportamento feminino. Ao contrário do que algumas pensam, não queremos encontrar um erro nas mulheres. Pelo contrário!

A história de hoje versa sobre namoro, andar acompanhado e a "Amiga Ursa". Não sabemos direito até que ponto uma aliança de compromisso é capaz de alterar os sentidos das mocinhas e de que forma isso pode atrair algumas delas.

Bem... que as mulheres competem entre si muito mais do que os homens, não há sombra de dúvidas. Vocês, fiéis leitoras, certamente concordam com isso. Reza a lenda que uma mulher, quando vai sair com um homem, não se arruma para ele, e sim, para que as outras mulheres a vejam linda e maravilhosa.

O problema é quando essa competição entre elas chega até nós, humildes representantes do sexo masculino e caçadores por natureza, tal qual a ciência comprovou recentemente.

Artilheiros da nossa estirpe estão sempre em busca do gol, mas quando resolvemos sossegar passamos a atuar na defesa, ou seja, começamos a manter uma relação fixa com uma única pessoa. Empiricamente essa atividade também é conhecida como "namoro".

Em um belo outono carioca, nosso protagonista resolveu experimentar esse tipo de relação. Conheceu uma mocinha agradável, que despertou seu mais profundo interesse. Pronto, trocaram juras e decidiram namorar. Os leitores deste blog hão de convir que a fidelidade existe. Só não entendemos por que quando estamos namorando, a mulherada resolve "cair em cima", mais do que o habitual. É impressionante!

Mas prestem atenção: uma coisa é ser alvo de uma mulher que cruza nosso caminho por acaso, outra coisa é ser cortejado por uma das melhores amigas da "primeira dama". É, nobres, foi exatamente isso que aconteceu com nosso atacante.

Certo dia, devidamente autorizado por sua companheira, o personagem desta história foi a um ensaio de um bloco de carnaval na Lapa. Chegando lá, encontrou uma das amigas mais próximas de sua namorada.

A festa rolou no melhor estilo: muita animação, muita euforia, e o nosso protagonista, fazendo jus à fama, entornou um volume considerável do gélido líquido amargo e levemente dourado.
Lá pelas tantas, quando até Pierrot e Colombina já tinha ido prum inferninho, a amiga da namorada encontra nosso craque e começam a papear. Minutos depois, foram dançar. Por que não? Afinal de contas, trata-se da amiga da "primeira dama". É preciso ser simpático.

O nosso gladiador não demonstrava nenhuma intenção, apesar de a moça ser deveras atraente e, estando em avançado nível de consumo alcoólico, propícia a um contato mais íntimo.

Para que fique claro: somos artilheiros sempre em busca do gol, mas jogamos limpo, seguindo as regras do jogo. E se estamos namorando, não há porque atuar em outros campos.

Já quase na hora de ir embora, a moça oferece uma carona ao nosso jovem. Ele não vê mal algum em aceitar. Entram no carro e, no meio do caminho, ela o convida para uma saideira em um barzinho ali perto. Boêmio e especialista em proferir a frase "Ué, por que estão jogando água no chão do bar?", nosso amigo aceita a convocação.

Depois de algumas saideiras, a moça, bêbada, senta-se ao lado dele, e começa a se aproximar de modo perigoso. E eis que ela manda:

- Você é muito legal, a fulana teve sorte de te encontrar - dispara, colocando a mão na perna do rapaz.

- Que nada... sou como qualquer outro - minimiza o jovem.

Seguiram-se mais alguns elogios, a danadinha se transforma na Amiga Ursa, aquela que ataca o macho da outra. Num lance de desenvoltura, dirige-se a ele com a intenção de beijá-lo. Ele tenta afastá-la, mas ela insiste.

- Não esquenta, estamos só nós dois, ninguém tem que ficar sabendo - diz a moça usando seu poder de persuasão.

- Não tá certo, deixa isso quieto - pede ele.

Mas a menina era insistente. Não ficou quieta e manteve-se determinada a alcançar seu objeto de cobiça: o namorado da amiga!

Depois de algumas carícias e palavras insinuantes ao ouvido, o rapaz sucumbiu. Nosso protagonista, diante de tamanha tentação, cometeu a infidelidade. Ou melhor, foi levado a cometer o ato falho. (Ele errou, mas a culpa... É, vocês sabem...)

Após saciar seu desejo, a Amiga Ursa proferiu uma frase que nosso craque jamais esqueceu. Para ele, era a prova cabal de sua má intenção.

- Ai, se a fulana souber, ela me mata. Eu a adoro, ela ia se decepcionar muito - afirmou em simulado tom de arrependida.

***

É, incomparáveis leitores, por que será que Elas, por vezes, atacam os comprometidos e pior: o namorado da amiga?

(a) Por pura tara. Freud explica.
(b) É instinto da Amiga Ursa.
(c) Porque elas sabem que o comprometido não vai ficar em cima.
(d) É um jeito de sentir superior à amiga traída.
(e) Porque não tinha mais o que fazer, o comprometido tava ali na frente, então, vai ele mesmo!

* Meninas, será de grande valia a ajuda de vocês, ok?! Queremos, do fundo do coração entender essas razões. As tímidas podem enviar a resposta para aculpaedelas@gmail.com. Seu sigilo é garantido!

21 comentários:

Eu disse...

caçador que é caçador não vacila!
hauahauahauhauaha

Anônimo disse...

(d) É um jeito de sentir superior à amiga traída.
É essaaalternativa correta.

Anônimo disse...

Alternativa C - por saber que homens comprometidos não vão ficar no pé delas.

E Também a alternativa A - Por pura tara heuaheuhaueiaea

Anônimo disse...

pra se sentir superior à amiga!!! óbvio!!! não são as mulheres que mais competem entre si?

Anônimo disse...

1º. Ajudaria se os “comentaristas” colocassem o sexo: (f) ou (m) ou até mesmo (g).... Assim os homens sabem o que as mulheres pensam a respeito e as mulheres idem.

2º. “gélido líquido amargo e levemente dourado” é breguéééérrrrrimo!!! Kkk

3º. Eu, como representante do sexo (f) opto pelas letras (a) e (c)

4º. Esse cara deve ser um merda; fala em atuar na defesa, disse que existe fidelidade, que joga limpo, que não atua em outro campo e depois sucumbi!! Será que com tantas qualidades se esqueceu da sinceridade?? Será que contou p namorada??

5º. Será que ela merece essa “cara qualquer” e essa “amiga” ??

Meio campista disse...

Acho q o Anonimo (f) aqui de cima deve ser a tal ex namorada q foi traida e acabou descobrindo o blog... senti um pouco de fúria nela, vai saber né hauhauhauaua

Anônimo disse...

heuehauehaua

Artilheiros e meio campistas:

as alternativas corretas são A e C.

P.S. Não há jusitificativa para traição, exceto sentir vontade de ficar com outra pessoa no momento.

:P (f)

Anônimo disse...

Instinto Ursa! Quem nasce ursa não tem jeito...e ainda morre sozinha.

Anônimo disse...

Bom tudo me informa que além de tara e estar um pouco sem força, já que o mesmo estava com a mente cheia do líquido mais precioso da terra. Ela como deve ser uma centro-avante nata se aproveitou da situação e chegou de sola no nosso jogador. Bom vamos lá sou do sexo (m) já que a amiga pediu e acho justo.
Já foi dada a minha opinião meus nobres jogadores, perguntem entre vcs e saberão quem sou.

[]s,
Bola.

Anônimo disse...

Faça-me o favor! Como o "jogador" tem coragem de falar em fidelidade??? A primeira piranha bêbada que aparece "investindo" ele "sucumbi", fácil assim... Por favor! Hipocrisia sem tamanho... E só pra responder a pergunta: acho que a resposta é pra se sentir superior e tara de quem só serve para ser uma qualquer... rs Mensagenzinha para o "casal": ela: com tanto homem no mundo vai querer uns amassos logo com o namorado de uma pessoa de quem se diz amiga??? Ele: com tanta mulher no mundo, logo uma ridícula desse naipe??? Com ou sem cerveja, com ou sem investida, você só ficou com ela pq quis e ponto final. E na boa, com tal atitude vc foi NO MÍNIMO, BAIXO! Ah, mais uma coisa: consideração e respeito, talvez seja bom ler um pouco sobre isso, tenta o dicionário...
Meu sexo? Feminino, queridos leitores.

Jorge disse...

A moça acima nunca ouviu a velha frase: "a carne é fraca"...

Amiga da moça que nunca ouviu falar em " A carne é fraca"... disse...

Ele, fraco;
Ela, baixa.
Ele, mais um.
Ela, comum.
Ele, zé mané;
Ela, pequena.

E como o camarada acima disse que a tal carne é fraca, a desse jogador além de fraca é provavelmente podre!
Tô vendo que o final dos tempos vai ser elas com elas e eles vão ficar na mão MESMO!

Amiga da moça que nunca ouviu disse...

Amiga da moça que nunca ouviu falar em " A carne é fraca"...


Ele, fraco;
Ela, baixa.
Ele, mais um.
Ela, comum.
Ele, zé mané;
Ela, pequena.

E como o camarada acima disse que a tal carne é fraca, a desse jogador além de fraca é provavelmente podre!
Tô vendo que o final dos tempos vai ser elas com elas e eles vão ficar na mão MESMO!

comentarista disse...

E o jogo pega fogo garotinho, o clima ta quente e tem gente entrando de sola sem parar, quem sairá ganhando ?? As mulheres sempre serão melhores do q qlq mão, mas a mão é mais sincera e menos complicada hahuahauhauhuahahuauhaua

Anônimo disse...

Prezados,

A discussão está acalorada. Mas gostaria de apresentar a minha singela opinião. (sou do sexo f)
Nesse caso, acho que há um problema duplo de falta de caráter, ou no mínimo, de falta de maturidade de um dos protagonistas. A tal amiga em questão não passa de uma filha da p... Não tem não tem o mínimo de caráter. Acredito que a base da amizade é feita de respeito.

Já o namorado, francamente. É muito fácil justificar os erros com as atitudes de terceiros. Se aparece uma vadia dessas e vc fica com a primeira cheirada no cangote, imagine como deve ser fácil cornear pra vc a namorada com as demais pretendentes que existem por aí. Sim, sim. A noite carioca tem muitos desafios para um comprometido. Me desculpe, mas no seu caso, acho que é (ou foi) falta de maturidade. Se a carne é fraca, que pelo menos seja por alguém com mais qualidades, não uma piranha que ainda conta historinha de “ se fulana souber” para tentar aliviar a consciência.

Ah, o blog tá legal, as vezes nem tanto, mas rende algumas risadas..

Anônimo disse...

Letra d, com certeza!
Eu já tive uma amiga ursa...rs

Anônimo disse...

O vento que sobra lá, sopra aqui também....
Quem trai (homem ou mulher) vê que é facim, facim.
Vê que se não der muito mole, o outro não vai ficar sabendo.
Conclui-se: “se eu faço e ele não sabe, ele pode fazer também que eu nunca vou saber!”
Sabe como termina isso??
Meninas, se o cara pega muito no teu pé, te controla e é desconfiado; Abram os olhos e desconfie primeiro!!!

vanessa disse...

ela é safada , cachorra e sem vergonha mesmo...
opção d

mas convenhamos... tadinhooo dele né...pobre e indefeso...tadinho... ele não teve culpa nenhuma..
fala sério.

Anônimo disse...

Em casa de caçador, chifre é troféu!! kkkk

Anônimo disse...

Hahahaha!
Ela certamente fez isso pra se sentir superior a amiga. Não vale uma paçoquinha.

Ele, como bom imbecil chega pregando a fidelidade e muda de idéia quando os neurônios de baixo funcionam melhor que os de cima.

A minha torcida é que a corna, coitada, esteja pegando o amor a vida dessa vagabunda que tomou a iniciativa.

Anônimo disse...

O curioso é que o caro amigo artilheiro, em seu blog, dedica um longo tempo para falar mal das possessivas(com boas razões, por sinal), mas quando pousa num campo ótimo pra fazer belas jogadas(afinal, a titular "autorizou" o dito cujo a sair nas noites cariocas "sozinho".), dá uma vacilada dessa!
Se não conhece as regras do jogo, baby, vai levar bolada nas costas, gol contra e chifre na cabeça!!!
Definitivamente, essa foi a partida mais sem sentido-e contraditória- desse blog: todos sairam perdendo!

PS: Ou melhor, não estou tão certa (f), não li ainda o blog da namorada do artilheiro. Não sei o que ela fazia por essas horas! : )

rs...

Ass: Perna de pau.