terça-feira, 13 de maio de 2008

O telefone tocou...

E achamos que já tinhamos visto de tudo.

Uma mocinha, coleguinha de faculdade, havia se encantado com a habilidade do atacante. E numa festinha da galera, após sacar o clima da moçoila, ele partiu pra cima e pimba!

Pelo que nosso atacante lembra, o beijo era bom, a companhia agradável, mas não era possível parar ainda. A luta pelo milésimo precisava continuar!

Mas a mocinha tinha outros planos. Pelo que se pôde acompanhar ela queria que o camisa 11 encerrasse a carreira e passasse a bater bola apenas com ela. Era a mais ingênua das veleidades daquela mocinha!

Nosso amigo passou a driblá-la, evitava encontros. E a medida que se distanciava, as ligações da mocinha para ele aumentavam.

Certa vez, o artilheiro voltava para casa às 4h da manhã quando seu celular tocou. Era ela.

- "Oieeee... onde você está?!", disse, toda feliz.
- "Po... são quatro da matina... to chegando em casa..."
- "Ah tá.. só queria saber como você estava"

O papo durou mais uns segundos.

Nosso amigo começou a ficar preocupado. As ligações estavam ficando cada vez mais perigosas.

Num outro dia. O telefone tocou às 17h. O protagonista estava no trabalho. Não via a tal da sufocadora há semanas e semanas, mas continuava a ser importunado.

- "Vamos nos ver hoje?".
- "Não dá".
- "Por que a gente não marca de sair?".
- "Não dá. To saindo com uma menina legal. Tenho que respeitá-la".

A "menina babaloo" não se deu por satisfeita e partiu pro ataque ferrozmente.

- "Larga ela. Fica comigo".
- "Eu vou desligar o telefone. Tenho que trabalhar".

A preocupação aumentou e nosso amigo resolveu conversar com uma amiga em comum. Nosso atacante pediu ela desse uns toques na mocinha, que a aconselhasse a esquecê-lo. E a amiga então revelou algo inimaginável, atitude que sequer passava pela cabeça do protagonista.

- "Eu já disse, artilheiro, mas ela não toma jeito!"
- "Po, Tá ficando chato. Eu não quero ser grosso, mas..."

Nesse momento, a amiga fez a revelação que deixou nosso amigo atônito.

- "Uma vez quando ela pegou o telefone eu disse logo: não liga pra ele. Mas sabe o que ela fez?"
- "Meu Deus... o quê?"
- "Correu pro banheiro, trancou a porta e te ligou".

***
Ai... ai... ai... salve-se quem pudeeeeerrrrrr!

Que ponto ALGUMAS mocinhas chegam, hein?! Nem mesmo coibidas-aconselhadas-impedidas pelas amigas elas tomam outro rumo.

Sinistro, jovens, sinistro!

Nosso amigo suou a camisa para se livrar da marcação!

5 comentários:

Ana Maria disse...

Looooooucccaaaa!!

Meninos, não são todas assim...

bjoka

Anônimo disse...

Po.. ligar de madrugada pra gente é quase que uma fisura...

Até, artilheiros!

Juninho

Tico disse...

Po... uma vez desliguei na cara da mulher e ela espalhou que eu a tinha tratado mal... ela me ligou às 3h para discutir uma relação que nunca existiu...

como vocês dizem: a culpa é delas!

parabéns ao blog!

Anônimo disse...

Esse caso não é estranho..rs..

Serão muuuitas ligações até a aposentadoria de vcs!!! rs

Um beijo enorme!

Briga...

Senhoritas XXX disse...

Parece que vocês atraem mulheres sem noção.