sexta-feira, 27 de junho de 2008

Sua vez...

Amigos, leitores e simpatizantes do blog, cuidado: há um novo golpe na praça.

Depois de revelarmos as táticas femininas em alguns golpes como o "da saidinha" e o "da autista", aquele em que a mulher fica olhando para o teto sem emitir som quando o garçom chega com a conta. Aí cabe ao cara bancar tudo, em quanto a mocinha permanece estática fingindo que não está percebendo o que está acontecendo.

Pois bem, a nova prática ardilosa é o "deixa essa comigo".

Esses dias um de nossos nobres artilheiros foi ao cinema com uma bela moça. Ela mora sozinha, trabalha, pensava em ter um filho sem marido. Era uma mulher independente. Assunto é o que não faltava. A mocinha sempre surgia com um tema distinto. Uns até que eram dispensáveis. Em certo momento, nosso amigo ameaçou iniciar um debate sobre a lei do impedimento se a pequena continuasse a falar sobre os problemas dos tibetanos no século XXI.

Enfim... o casalzinho foi ao cinema. Escolheram o filme e na hora de pagar os ingressos, a mocinha deu um passo à frente e surpreendeu:

- "Não. Deixa que eu pago"
- "Que isso, não precisa"
- "Faço questão", disse a mocinha retirando da bolsa uma carteirinha de estudante falsa.

Nosso amigo, que tinha uma carteirinha verdadeira, mostrou a sua e a sapeca pagou duas meias, algo em torno de R$ 14.

O atacante ficou sem graça inicialmente, mas gostou de ver que a moça tinha atitude. Não fez corpo mole. Disse que ia pagar as entradas e pagou sem titubear.

O filme foi bem mais ou menos, mas a companhia era agradável. Ambos deixaram a sala de exibição satisfeitos e resolveram comer algo para fechar a noite.

Nosso matador nem imaginava, mas o golpe estava por vir.

Foram a um restaurante próximo pediram um chope e voltaram a papear. Lá pelas tantas a moça decidiu pedir algo para comer. Dispensou os petiscos e entradas e pediu uma carne. Nosso amigo topou. A fome não era tanta, mas a jantinha iria cair bem.

Cuidado, amigos, isso também pode acontecer com vocês. Nunca se esqueçam: a mulher é capaz de enganar o diabo...

Quando a conta chegou, a mocinha pegou a bolsa e nosso amigo pensou surpreso: "Que isso... essa mulher vai querer pagar a conta?"

Mas não, amigos. Havia chegado a hora do golpe. A mocinha pegou a bolsa, levantou-se e soltou:

- "Agora é sua vez.... vou ao banheiro rapidinho, tá?", mesclando o golpe do "deixa essa comigo" com o da "saidinha", aquele em que a mulher sai da mesa, vai ao banheiro, vai fumar um cigarro justamente quando o garçom traz a conta.

***
"Como assim minha vez?", pensou nosso destemido jogador.

A espertalhona fez questão de pagar o cinema e tirou R$ 14 do bolso. Na cabeça dela essa foi a vez dela. A conta do restaurante beirou os R$ 60. Cerca de quatro vezes mais. E na cabeça da danada, essa era a vez do atacante.

Mundinho injusto esse, vocês não acham?!

Nosso amigo saiu preparado para bancar o que fosse preciso, como sempre faz. Sem essa de "minha vez e sua vez". Sob uma ótica fria, ele deixou de gastar a grana do cinema. Mas o que o incomodou foi a jogada que a mocinha forçou: para parecer uma mulher pra frente, independente e libertária, ela fez questão de mostrar que, assim como os homens, também podia pagar a conta, que não se incomodava em pagar a entrada do cinema de seu acompanhante. Só que justo a "vez dela" era a mais barata. Ê laiá....

5 comentários:

Anônimo disse...

Malandragem!
hahahahahahahahahahaha

Moça esperta essa daí!

Caroline disse...

rs... essa foi boa mesmo!


Mas hj tenho que concordar com os rapazotes, a tática mostrou as segundas intenções....

Mas como diz o trecho de uma marchinha popular,adaptada por nós(mulheres) - "Nós é que bebemos e eles que pagam a conta"

Boa sorte, atacantes!

Damine disse...

Mulé burra...
bastava ficar calada e quieta! Agora todo mundo sabe da tática né?

Jr disse...

é jovem, elas são terríveis!

Anônimo disse...

Eu mandava ela lavar a louça do motel depois...ahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuahuauhhuahau