sábado, 2 de agosto de 2008

A festa

Caramba é cada uma que acontece, que às vezes as histórias parecem meros contos retirados de um livro de fábulas. Mas a verdade é uma e precisa ser dita sempre: A Culpa É Delas.

A história de hoje aconteceu com dois amigos do blog há alguns anos.

Certa vez, foram convidados por um colega de trabalho a irem em seu aniversário, em Santa Teresa. O aniversariante era gente boa, um profissional notável, dono de bom humor e sua orientação sexual o direcionava a pessoas do mesmo sexo que o seu. (ATENÇÃO: esse blog não se propõem a discriminar ou preconceituar as pessoas por conta de suas opções e orientações).

Continuando a história...

A dulpa de amigos é heterosexual. Pois bem... eles estavam receosos com o "clima" da festa, mas acabaram convencidos por duas amigas, também heteros, e marcaram de ir juntos.. os quatro...

No dia da festa, já subindo Santa, eles ligaram para uma das amigas:

- "E aí, cadê vocês?", perguntou um deles.
- "Vamos chegar um pouco mais tarde... podem ir na frente", disse a danada.

Queriam chegar lá com mais alguém conhecido. Mas era tarde para desistir, eles já haviam confirmado presença. E além do mais, pensavam eles, o que deveriam temer? Ninguém os obrigaria a nada e eles eram pessoas determinadas a viver com as diferenças. "Tranquilo. Vamos em frente", disse um deles.

Chegando na festa, a alegria tomava conta. O aniversariante os recebeu com extrema alegria, ofereceu bebidas e pediu que se sentissem à vontade.

Os amigos, então, adentraram na festinha, pegaram uma cerveja, bateram um papo e começaram a analisar o cenário: a idéia era encontrar um alvo para aquela sexta-feira.

Mas o pior, para eles, aconteceu.

Havia muitas pessoas na festa. Homens e mulheres. Mais homens que mulheres. Não importa. O que marcou para os nobres amigos era que todos preferiam se relacionar, afetiva e sexualmente, com pessoas do mesmo sexo. Nada de heteros na pista. Apenas eles. De repente começaram a ganhar olhares. Olhares incisivos.

- "Não há alvos", proferiu um deles.
- "Pior: nós somos os alvos", resmungou.
- "Se as fulanas estivessem por aqui... ".
- "Ok, ok. Sem problemas. Viemos por causa do nosso amigo", disse o outro.
- "Isso, isso. Tá tudo tranquilo. Vamos pegar mais cerveja".

Eles interagiram, bateram papo, discutiram problemas do trabalho... e nada de as amigas chegarem.

O problema, amigos, é que uma hora depois, algum conviva, elétrico, assumiu o controle do som. A primeira a tocar foi YMCA, do Village People. O público presente se animou. Os movimentos passaram a ser mais intensos; os saltos mais altos e os gritos mais estridentes.

Até que, no auge do caldeirão, começa a tocar "It´s raining man". As pessoas se agitaram de uma forma inexplicável. E de repente, uma voz no fundo da sala solta:

- Uhuuuu... APAGA A LUUUUUZ!

Foi a senha.

Um dos amigos correu pra cozinha, o outro colou na parede, enquanto a galera se agarrava.

***

Um minuto depois estavam fora da festa... descendo Santa Teresa.... correndo ..... e xingando as amigas furonas!

10 comentários:

Vê Guimarães disse...

Tadinhos dos meninos! Só dá pra dizer isso kkkkk!

Estava Perdida no Mar disse...

E o que as meninas têm a ver com isso?

Diego Peixoto disse...

que furada..

abs primo!

Anônimo disse...

Vou achar muito legal quando o dono da festa ler o post babaca, exagerado e preconceituoso!
Lamentável!

Kika® disse...

Não achei preconceituoso. Aliás, em momento algum houve alguma tipo de ofensa no post. Opção é opção. Os meninos ficaram na festa até clima esquentar. Depois disso, se não era a onda deles, caíram fora.

As pessoas taxam como preconceito quando alguém não engole obrigatoriamente garganta abaixo as escolhas delas. Isso é burrice. E independe de raça, credo ou opção sexual.

Anônimo disse...

To c vc, Kika! Ninguém é obrigado a nada, nao é? Por isso eles são obrigados a ficar? Contraditório, no mínimo!

CP

Anônimo disse...

Rapazes, é ridículo o que vcs fizeram neste texto. Será que não pensaram que no meio em que trabalham todos se conhecem? É muito chato ver que vcs sacanearam a festa do cara com coisas que em momento nenhum aconteceram.

Só posso concordar com o comentário acima e lamentar. Além de torcer para que o dono da festa, caso venha ler essa bobeira, não se sinta ofendido. Não adianta dizer que aconteceu há anos, pois sabemos que não foi. Isso é preconceito, aliás, machismo bobo.

Anônimo disse...

Post idiota e preconceituoso. Além do mais, não entendi pq tanto medinho na festa.

Anônimo disse...

UHUUU!!!!!!!!!
MUITO BOM!!
PARABÉNS, MENINOS! VOCÊS SÃO A PROVA DE QUE O HOMEM ESTÁ SEMPRE SE SUPERANDO...

QUANDO ACHO QUE NÃO VÃO CONSEGUIR SER MAIS RIDÍCULOS, VOCÊS SE SUPERAM!!!!!!!!!

Jorge P-10 disse...

Engraçado... todas as críticas de "machismo", "idota", "preconceituoso" são de anônimos!

Tsc...tsc... tsc...