sexta-feira, 26 de setembro de 2008

Amigos íntimos

Amizade é coisa primordial para nós, do A Culpa é Delas. Não é a toa que o filósofo dizia que "a amizade é o melhor remédio". Então, nobres leitores, com isso não se brinca!.

A nossa história de hoje não trata de grandes amigos. São três pessoas conhecidas que tem ligações há anos e uma relação amistosa. E no meio deles, uma mulher, que coloca em risco tão nobre sentimento.

Fulano e Ciclano estreitaram os laços há poucos meses, embora se conheçam há vários anos. Nos últimos tempos, estão sempre juntos na noite, nos bares e becos espalhados pelo Rio de Janeiro. Onde tem cerveja, lá estão eles.

Decidiram duelar em mais uma noite carioca e aquela sexta-feira parecia ser como todas as outras. Marcaram de se encontrar no bar de sempre, para biritar e, então, partirem para a noitada. Como no dia seguinte compartilhariam a tradicional pelada de sábado, ficou combinado que Ciclano dormiria na casa de Fulano para saírem pela manhã.

Entornaram algumas cervejas e partiram para uma casa de shows muito famosa na Lapa. Depois de algum tempo no local, Ciclano encontra Beltrana, sua irmã, que tem namorado. A sapeca estava com uma amiga, no meio da ferveção.

Muitos podem pensar: que mal há nisso? Nenhum, se ela não tivesse namorado. "Ora, que visão machista", podem pensar alguns leitores.

Afinal, que mal há em uma pessoa estar na noite sem o seu parceiro? Sim, sim. Mas acompanhemos, então, o desenrolar dos fatos.

A noite seguia animada, quando Beltrana engatou um longo papo com Fulano.

Ela é o que se pode chamar de uma moça receptiva, apesar de compromissada. E uma moça receptiva e bonita é um belo convite a qualquer jovem a se aventurar por terras perigosas (já que estamos falando de gente comprometida).

Pensando nisso, Fulano dirigiu-se ao seu amigo, o irmão da danadinha, e mandou a real.

- " Você é meu parceiro, mas eu quero a sua irmã. Mas ela tá namorando ainda? Afinal, eu conheço o cara, e não seria legal", abriu o jogo.

- "Mermão, minha irmã é maior e sabe da vida dela. Mas ela não tá namorando não", deu a senha Pablo.

Pronto. Estava formado o cenário. Horas mais tarde, todos decidiram ir embora. Ciclano manteve os planos de ir para a casa de Fulano, juntamente com outro amigo. Mas Fulano tinha uma nova companhia: Beltrana. Eis que todos rumaram para a casa do artilheiro da noite.

Chegando ao local, a divisão dos quartos é feita de forma natural. Ciclano e o amigo vão para um quarto e Fulano vai para outro.... com Beltrana !!! É isso mesmo, caros leitores: enquanto Ciclano dormia em um cômodo, sua irmã ficava acordada em outro, junto com um de seus amigos.

Aos que falarem que isso não tem nada a ver, adiantamos: o ACED, em sua linha editorial, não contempla irmã ou mãe sendo abatida por qualquer amigo. Ser cúmplice então...

No dia seguinte, todos seguem no carro de Fulano em direção à pelada. Beltrana ficaria em casa, mas decidiu acompanhar o grupo. O trajeto, de pouco mais de meia hora, teve um cenário constrangedor, com brincadeiras espaçadas e breves diálogos. No meio do caminho, o celular de Beltrana toca: era o namorado dela, querendo saber onde a mocinha estava.

- "Saí ontem com meu irmão, que dormiu na casa do Fulano. Peguei uma carona com eles e fiquei por lá mesmo. Fiquei com meu irmão", mandou.

Todos no carro procuravam olhar para qualquer ponto, menos para a cara do outro. Talvez para evitar a face constrangida, talvez para evitar risos sem graça.

O detalhe é que o namorado é amigo, um tanto distante, de Fulano.

No mesmo dia, após a pelada, Fulano bebia cerveja na rua em que foi criado, e eis que surge o "corno", ou melhor, o namorado. Se cumprimentam, com visível constrangimento para Ciclano e Fulano.

Para completar o cenário e o constragimento quase tomar forma humana, ainda surge a moça, que senta à mesa, e começa a papear com todos. Se não eram tão próximos assim, desde aquele dia, o artilheiro da noite e o namorado de Beltrana se tornaram amigos íntimos...

****

Não há muito o que dizer. Os erros, nesse triste episódio, são sortidos e surgem de diversas direções.

Mas se a moça tivesse mantido a postura de pessoa compromissada, nada disso teria acontecido. Alguma dúvida de quem é a culpa?

6 comentários:

Pedro disse...

como os artilheiros disseram o irmão deu a senha... mas essa mulher aí, hein!!

coitado do chifrudo!


Valeu galeraaaawwwww

Dani disse...

Inspirados em 'A Favorita'? Vide Dedina e Damião...rs
Na minha opinião, vacilo dos dois!
Bj

Anônimo disse...

Gente, é mais grave ainda... Ela não é namorada do corno, e sim, ESPOSA DO CORNO!!!ahuahuhuaha

Muito bem lembrado!!!!

Abs

CP

Anônimo disse...

SAFADONA!

Kika® disse...

Poucas semanas longe daqui e tive que colocar tudo em dia, quanta coisa!

Tava com saudade de rir desse jeito...rs. Beijos, meninos!

.freyja. disse...

culpa de ninguem... ela é de maior, ele é de maior... so pq ela foi mt perspicaz, e para evitar q alguem levasse cartão vermelho por sair no braço e para evitar injúrias maiores se fez de sonsa e desentendida... clap clap clap!!! (palmas para a nobre bandeirinha)