sexta-feira, 19 de setembro de 2008

Deixa que eu anoto

Algumas mocinhas estão trabalhando com afinco a idéia de se igualar os homens. Mas, meninas, não é preciso se igualar a tudo. Tem coisas que vocês sempre foram melhores que os homens EM GERAL, como por exemplo, o recato, os bons costumes e a sinceridade.

Se ainda fossem copiar os artilheiros, tudo bem. Mas vão copiar logo os Zé Manés?! Aí não tem jeito, acaba virando post do A Culpa É Delas!

Vejam só o que aconteceu com um nobre artilheiro, amigo do blog.

Animado para mais um ensaio do "carnaval de emoções" que é a noite carioca em dia de sexta-feira, nosso nobre camarada foi ao Escravos da Mauá dia desses. Depois de saracotear de um lado ao outro encontrou uma bela mocinha sorridente. Ele logo puxou uma cerveja, ofereceu e iniciou um papo. A mocinha deu corda e caiu nos braços do craque.

Beijo pra cá, beijo pra lá. Pausa para a cerveja e um set de samba.

No fim de tudo, nosso craque pediu o telefone da moça. Ela, então, pediu o aparelho do artilheiro.

- "Deixa que eu anoto", falou a danadinha, pegando o aparelho e apertando as teclas.

Minutos depois, na hora de se despedir, a mocinha mostrou seu lado sapeca. (Ou será que mostrou a lado ruim do que ensinam por aí?).

- Ah... eu tenho namorado.

Nosso amigo não gostou da idéia. (Sim, artilheiros, de fato, se preocupam com isso).

- "Que isso? Por que não falou antes?!", quis saber nosso amigo.

A mocinha desconversou. (Não sabemos ao certo se era uma brincadeira ou uma revelação).

Entre risos, ela disse:

- "É brincadeira, artilheiro. To brincado", soltou, para logo em seguida mudar o assunto.

Nosso nobre Don Juan Tupiniquim deixou a história de lado. No dia seguinte, foi mexer na agenda do telefone e:

- Ué, cadê o telefone da Fulana?

***
Que triste. Muito triste. (e engraçado também, confessamos!!)

A mocinha fingiu ter anotado seu número de telefone no aparelho do nosso amigo. Fato esse que, inclusive, reforça a suspeita de que realmente ela tinha namorado e não poderia ter ninguém ligando e chamando pra sair.

Tanta coisa boa para imitar na guerra dos sexos e as mocinhas aprendem logo isso. Lastimável, não acham?

Ser ludibriada é uma coisa. Repetir erros é outra. A Culpa É Delas.

2 comentários:

Roger disse...

Mulher assim tem aos montes... elas são sinistras...

Anônimo disse...

eu sou destas q defende o próprio gênero.. mas o erro dela foi grotesco.. se tinha namorado e queria fazer besteira, pois q deixasse o cara consciente, livre pra escolher se queria ou nao se meter em roubada... depois faz aquela cena ridícula na cara de pau... ah, vergonha!!!