terça-feira, 30 de dezembro de 2008

Quando o(a) "ex" entra em campo

Leitores queridos, amigas e inimigas do Blog,

Esse é o último post de 2008. Não poderíamos deixar de agradecer a presença de vocês nesse polêmico espaço virtual, onde as máscaras de algumas mocinhas caem como confete em dia de carnaval. Queremos deixar um agradecimento especial a todas as culpadas (sem vocês esse blog não teria sentido!!!). O ano de 2009 já pede passagem e traz a certeza de que muitas partidinhas e gols estão por vir. A disputa pela artilharia recomeça, deixando mocinhas radiantes.

O A Culpa É Delas aproveita para anunciar que está entrando de férias e volta em breve com muitas novidades!

A Copa do Mundo do Flerte, contudo, não pára! Pra cima delas!

***
A história de hoje é um clássico sobre o comportamento de artilheiros e mocinhas diante de uma mesma situação. Recentemente, nosso Camisa 11 presenciou cenas parecidas e comportamentos distintos, e ficou com aquela pergunta no ar: por que será que o “ex” de uma amiga mexe tanto com a amiga da amiga?

Claudinha, Tati e Fernando se conheciam há algum tempo. Fernando trabalhava com Claudinha e depois de um flertezinho começaram a namorar. O compromisso durou um ano, e durante esse tempo, Tati, assim como outras coleguinhas de trabalho e folia, manteve uma presente amizade com o casal.

Passados alguns meses após o término do namoro, uma amiga em comum dos três deu uma baita festa para comemorar seu aniversário. A relação entre os ex-namorados, pelo que consta, parecia normal, não existia ciúme, cobrança pós-termino, enfim... nada disso!

Lá pelas tantas, Claudinha curtia a festa numa boa quando vê um “embolo” no meio da galera: era seu ex-namorado e sua amiga.

Ok, ok! Ninguém era de ninguém! Todo mundo é livre! Mas, existem caros leitores, sentimentos que os seres humanos não sabem expressar, explicar, definir. O fato é que rolou um ressentimento, embora hoje, todos digam que tudo está bem! Coisas da vida.

O curioso para nossos artilheiros é que uma história com ingredientes semelhantes aconteceu semanas antes. Uma outra festinha reunia grandes e velhos amigos, anônimos e a “ex” de um amigo. Nosso camisa 11 estava lá, driblando pra esquerda, driblando pra direita quando avistou algo suspeito: o Camisa 27 num papinho animado com a “ex” de um amigo, chamada Bruna.

Na hora, o nosso Camisa 11 assinalou o impedimento: no conceito dos artilheiros, um gol desse, sem que antes role uma conversa, uma explicação, é gol contra, ilegítimo. Pois bem, mas para algumas mocinhas isso não faz muito sentido.

Nosso amigo distraiu-se, foi beber cerveja e mais ou menos uma hora depois voltou a procurar pelo Camisa 27. Numa rápida volta pela sala do apê, onde rolava a festa, também não encontrou Bruna.

Quando chegou em um dos quartos, viu que havia uma galera sentada na cama fumando cigarro e conversando, e ao fundo, na varandinha, estava o Camisa 27. A porta estava meio fechada, e só era possível ver metade do corpo do craque, que se mexia na direção do escurinho, sorrindo e esticando a mão, como se fizesse carinho em alguém.

- “Meu Deus!”, pensou o Camisa 11, que pegou o telefone, ligou para o Camisa 27 e exigiu que ele saísse de onde estava.

Sem entender direito, o craque veio ao encontro do amigo. Nesse exato momento, a porta do banheiro, que fica do outro lado do corredor onde estavam os atacantes, se abre e por ela sai Bruna.

Camisa 11 correu para a varanda para ver quem estava com o Camisa 27, e a surpresa foi imensa: era uma gatinha (um bichano mesmo), que também habitava a casa.

Restou ao Camisa 11 pedir sinceras desculpas ao amigo.

- “Foi mal, cara. Pensei que você ia pegar a ex do nosso amigo”.
- “Tá maluco, cara?! Isso não se faz”, decretou o Camisa 27.

***
A polêmica está no ar e promete se estender até janeiro. Afinal de contas, é verdade que as amigas sentem atração pelos exs das amigas. Por que será que os artilheiros têm esse código de comportamento?

Você já viveu algo parecido? A Culpa foi Dela?

Até breve!

9 comentários:

Anônimo disse...

mule adora isso.. mto bom o blog!

Prazer, peito! disse...

elas não são tão amigas quanto dizem!! rola uma disputa... FATO!

Prazer disse...

pau. Mulé é tudo falsa mermo.

Anônimo disse...

Nunca tive problemas com amigas e ex. Nem nunca fiquei com ex de amigas. Em compensação, o que já fui cantada por amigos de namorados e ex-namorados, viiiixe.

Em defesa! disse...

Ah que isso não é somos falsas! É uma questão de curiosidade, quando a mulher está com uma cara ela só fala bem dele para todas as amigas, se deixa de ser dela muitas pensam por que não experimentar?!? Falsidade mesmo rola entre amigos e namorada dos amigos,levante a mão a mulher que nunca recebeu cantada de amigo de namorado!

Ao ataque disse...

Curiosidade? pode até existir, mas vê se pede licença pra amiga. Vai que ela ainda gosta do cara e diz pras amigas que é coisa do passado! Azar o dela? que nada! Amizade acima de tudo! Mas as mulheres não entendem isso direito!

fui!

Anônimo disse...

Caraca! Taí uma coisa que não existe é esse tal código entre os homens.
Tem até amigo de artilheiro desse mesmo blog aqui que não acredita muito nisso não!
Se liga aí homarada....

Anônimo disse...

Caraca! Taí uma coisa que não existe é esse tal código entre os homens.
Tem até amigo de artilheiro desse mesmo blog aqui que não acredita muito nisso não!
Se liga aí homarada....

Flávia disse...

Olá, tudo bem?
Estou trabalhando na divulgação do musical Avenida Q. Selecionei alguns blogs cariocar para assistir a peça grátis.Topas?
Se topar, me envie um email e te passo mais detalhes
flavia@franceschini.com.br
Valeu..bjos