sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

A Fresquinha de Laranjeiras

Seguindo a nossa série "As Cariocas... que ficaram de fora da telinha", vamos contar hoje uma triste história, que há tempos aconteceu com um craque da azaração.

Mestre nas manobras do flerte, nosso amigo resolveu dar em cima de uma colega do trabalho. E ele foi com tudo... papinho pra cá, elogios pra lá e um convite pra sair selou a conquista.

E até que o primeiro encontro começou agitado. A moça era talentosa na arte do beijo e nosso artilheiro, cheio de graça, não deixava o clima baixar. Depois de saírem para dançar, o casalzinho gastou uns amassos no carro. A moça, contudo, estava um pouco devagar... evitava certas, digamos, ações invasivas...

Mas lá pelas tantas, ela concordou em ir pro cinco letras. Isso, mesmo, foram pro centro de concupiscência carnal mais próximo e... pimba? Nem tanto!

Aquela sapeca que estava em seus braços era a "Fresquinha de Laranjeiras", e isso irritou o nosso matador.

Quando a brincadeira começou, o nosso guerreiro do amor pediu que a sapeca "brincasse" com sua lança de guerra e paz! A sapeca deu um passo atrás, mas ele insistiu:

- Vai, linda.. só um beijinho!

E ela, então, começou a desafinar o soneto da paixão:
- Ah, não... pra fazer isso, só de camisinha!, condicionou.
- Po, de camisinha não tem graça. Além do mais, quem faz isso de camisinha são as profissionais, que não sabem de onde veio o parceiro...

A danada pensou, pensou... chegou a empunhar a espada, como se fosse um microfone, mas apresentou outra condição. Levantou-se, pegou o atacante pegou braço e entrou no banheiro:
- "Pra colocar a boca aí sem camisinha, só se for debaixo do chuveiro, com água corrente...", decretou.

Nosso nobre desbravador, claro, lamentou outra vez:
- A gente veio aqui pra fazer sexo ou pra você me dar banho?

***
A situação foi contornada. Mesmo decepcionado, o craque da azaração aceitou os limites impostos pela "Fresquinha de Laranjeiras" e entrou com bola e tudo. Afinal de contas, nosso artilheiro segue sua incansável busca pelo gol mil.

Mas acontece, caros leitores e inimigas do blog, que depois dessa não houve outra. Era tanto nhém-nhém-nhém, que o discípulo de Baco desistiu da sapeca...

***
O Blog A Culpa É Delas está entrando de férias. Feliz Natal a todos e que 2011 seja um ano de muitas partidinhas e golaços. Pra cima delas, artilheiros!

As histórias do ACED voltam a ser publicadas antes do carnaval, quando o Rio de Janeiro já estará fervilhando e muitas novas culpadas estarão na nossa lista!