quinta-feira, 10 de março de 2011

Ela gostava mesmo é de...

Queridos leitores desse Brasilzão de Deus e do exterior, o blog A Culpa É Delas está de volta das férias. O carnaval (ufa!) foi pra lá de desgastante e olha que, para alguns artilheiros, ele ainda nem acabou. Chegou a hora de voltar a contar as peripécias do mundo cor de rosa!

A história de hoje é impressionante. E não poderia ser diferente, né?! É a trama que marcará o retorno do ACED. E por mais que surjam dúvidas, a gente responde antes que a questão se levante: sim, como todas as histórias do blog, essa aconteceu. Verdade verdadeira.

Vamos lá:

A mocinha, sapeca que só, acordou num dia de sol com uma vontade bastante incomum (ou será que não é?): queria ser garota de programa por uma noite.

Isso mesmo! A danadinha, de classe média, resolveu vestir uma saia curta, carregar na maquiagem e no decote e ir pra pista.... ou melhor, pra Avenida Atlântica.

Ela parou o carro perto de onde algumas moças oferecem seus serviço. Nova na área, teve algumas rejeições e acabou se afastando um pouco das "colegas". Nada que a impedisse de realizar sua vontade.

A danada deu a escolher cliente. Quando vinha um que ela não gostava, colocava o preço lá em cima. Mas teve um, amigos e amigas do blog, que ela foi com a cara. Depois de um papinho cheio de saliência, ela fechou o preço: R$ 200 por duas horas. E lá foram eles pro cinco letras.

O programa transcorreu às mil maravilhas. A moça se soltou e fez daquela uma noite quente. O jovem rapaz nem podia imaginar que ela não era do ofício.

Para uma amiga, ela revelou os detalhes e fez uma confissão.

- Não acredito que você fez isso - disse a amiga.
- Fiz, sim. Foi legal. Não quero fazer de novo, sei lá... - argumentou a protagonista.
- Mas você não ficou com medo de o cara tentar algo estranho, te bater?
- Não. Escolhi bem, amiga.
- E do que você mais gostou?

Aí, queridos leitores e inimigas do blog, ela fez a confissão reveladora, estarrecedora para alguns:

- O sexo foi bom. Ele era gatinho, mas eu gozei mesmo foi quando ele colocou os duzentos reais na cama - disparou sem dó.

***
Caraaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaamba. Falta fôlego!

Dias depois, um carinha com quem ela saía soube da história e pulou fora. E olha que ela só contou para UMA amiga, que jurou não contar pra ninguém.

Não, não vamos fazer juízo de valor. Nada contra a profissão, nada contra a decisão da mocinha.

Cada leitor, em paz com sua consciência, que tente entender... ou não!

4 comentários:

Anônimo disse...

Eeeeeiiitaaaa!

Tava demorando a voltar hein.. abs primo!

Sandra disse...

hbahahahaha... que bom que voltaram... Esa mocinha como vcs dizem é uma sapeca!

Fred disse...

Dinheiro é afrodisíaco... hehehe!

Gabrielle disse...

Hummm sei lá né, pensa assim ó: realizou a fantasia, o cara era gato, e ainda recebeu por isso... de última eu acho q nem foi ter recebido, foi só ter gozado qndo viu a verdinha...