segunda-feira, 4 de julho de 2011

Patrimônio

Caros leitores e artilheiros deste país bonito por natureza, temos que confessar: "apesar de saber que serão boas histórias para o blog, às vezes é duro saber de algumas delas".

É que cada vez que algo desse tipo acontece, aumenta o descrédito a certos tipos de mocinhas.

Pois bem, dia desses, duas mulheres, na faixa dos 38, 40 anos conversavam alegremente. Uma delas contava que a filha mais velha, de 16 anos, estava "namorando firme", como diziam nossos antepassados.

Nisso, a amiga, ai, ai, sábia, como defendem as inimigas do blog, soltou, mas, assim, sem pensar duas vezes:

- Ó, mas você tem que ensinar sua filha a não receber presentinho barato, bobo.
- É?
- Claro... ela tem que cobrar do namorado, presentes que provem o tamanho do amor...
- Você acha? Mas ela só tem 16 aninhos?
- Acho... ela tem que pedir uma joia para ele. Nada de bijuteria, tem que ser joia e das pesadinhas...
- Ai, não sei...

E foi aí que a frase mais pareceu um torpedo estourando perto dos ouvidos, daqueles que são capazes de desnotear o sujeito.

- Menina, não seja boba. É assim que fazemos patrimônio.


***
Às custas do mocinho?

Fala sério!

2 comentários:

Anônimo disse...

putz.. é sério, isso?!

Deia disse...

Dá vergonha de ser mulher numa hora dessas!