quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Mocinha educada

É impressionante a educação e bom senso que têm algumas mocinhas de hoje em dia. Recentemente, dois amigos saíam do trabalho e tiveram prova disso.

O cenário era o seguinte: uma esquina do centro do Rio, daquelas que ficam bem ermas após das 21h.

Pois bem, era uma terça-feria e já passavam das 22h, quando dois bravos atacantes desse Brasilzão de Deus passaram caminhando traquilamente pela escuridão da tal esquina.

Na outra, do mesmo quarteirão, há um bar, onde esses craques e seus amigos costumam beber alguns copos do gélido líquido dourado após o duro expediente. Só que naquela terça, o barzinho-aconchegante- ideal-pro-chope-pós-trabalho estava ocupado. Era o ponto escolhido por uns 100 universitários para uma chopada de início de semestre.

Tudo bem. Fica pra próxima. E a esquina escura?

Bem... a tal esquina virou banheiro da garotada. Quando nossos amigos a dobraram, perceberam algo se movendo. E a atenção do ser humano, como se sabe, é aguçada. Se algo se move por perto, é quase inevitável não virar a cabeça para ver do que se trata, correto?

A cena que nosso amigos presenciaram era a seguinte: uma moça agachada entre dois carros e outras duas, uma atrás e outra na frente da mijona, fazendo a tal barreirinha e servindo de apoio. Na traseira de um dos carros, havia mais duas sapecas, com copos nas mãos e falando alto. Talvez esperando a vez.

A cena foi vista por uns três segundos. Não deu tempo sequer de um comentário entre os atletas. Antes disso, uma das moças olhou para os nossos amigos e soltou, em linguagem arrastada e alta:

- Pooooo, na moraalll: VAAAAAZZZAAAAA!


***
Os craques, que não pararam um segundo para ver a cena, se entreolharam e riram. Fazer o quê?

Ou seria o caso de dizer: "desculpe-nos, senhoritas, nem percebemos que entramos equivocadamente no banheiro feminino!" ???

Pois é, inimigas do blog, sem qualquer caretice, quem está errado tem que pisar macio.

Quem ouve coisas desse tipo, até poderia devolver a grosseria. E se a mocinha fosse xingada de... (o que vcs preferirem, tá?!), a culpa seria de quem?! Ah tá...